article inline adarticle inline ad

Bauru campeã geral d´O Inter 2019. Presidente Prudente fica 12 pontos atrás e é vice-campeã; Sorocaba vence a 2ª divisão. Saiba mais.

Crédito foto de capa: Guilherme Fuzaro Leone

A taça d’O Inter voltou para Bauru. Depois de 4 anos seguidos com Presidente Prudente subindo ao topo do pódio, o maior campeão do torneio entre campi da Unesp faturou a edição d’O Inter em São José dos Campos.

A grande campeã totalizou 297 pontos, levando o ouro de 8 modalidades e a prata de outras 8. Bauru chega a sua 12ª conquista, se isolando na ponta dos títulos gerais da competição.

Unesp Presidente Prudente garante o vice

Heptacampeã e imbatível entre 2015 e 2018, a Unesp de Presidente Prudente foi campeã de 9 modalidades e vice em outras 6. Entretanto, a atlética foi punida com 15 pontos e terminou a disputa com 285 no geral.

Campeã em 2010, Rio Claro foi campeã de 4 e vice de 3 modalidades, fechando o pódio d’O Inter.

O sobe e desce das divisões

Rio Preto, Araraquara, Guaratinguetá e Botucatu garantiram a permanência na primeira divisão, que passará de 12 para 8 atléticas em 2020. Já Franca, Ilha Solteira, Assis, Jaboticabal e Araçatuba foram rebaixadas e disputarão a segunda divisão, que irá de 9 para 8 atléticas.

Resultados da segunda divisão d´O Inter

Por lá, Sorocaba venceu 10 modalidades, foi vice de duas e chegou a 200 pontos, garantindo a única vaga de acesso para primeira divisão em 2020.

São José, Registro e São Vicente conseguiram se manter na segundona, enquanto Itapeva, São João, Tupã, Rosana e Ourinhos foram rebaixadas para a inédita terceira divisão, que também poderá contará com outros campi da Unesp.

A Revista BEAT conversou com o estudante de engenharia civil Robert Yudi, o Play, presidente da Atlética de Bauru. Confira!

Entrevista com a Atlética de Bauru

Bauru é a maior vencedora, mas não levava o geral desde 2014. O que vocês fizeram de diferente ao longo desse último ano para fazer a taça voltar para Bauru?

Acredito que focar na atenção para as(os) atletas. O trabalho sempre foi cativar mais a nossa delegação esportiva com o intuito de deixá-la mais unida e encontrar as melhores competições para treinar durante o ano, cujo nível técnico era similar ao das nossas equipes.

Isso gerou situações muito semelhantes às que encontraríamos nO Inter, que treinaram as(os) atletas tanto tecnicamente quanto psicologicamente, por jogarmos algumas vezes sem o mando de campo e com a torcida contrária.

Você está no 8º semestre, ainda não tinha visto Bauru ser campeã geral, certo? Qual o gosto de levantar o caneco como presidente da Atlética depois desses anos de jejum?

Não tinha visto Bauru ser campeão, mas hoje faz pouco mais de 48 horas do anúncio geral e a ficha ainda não caiu. É uma sensação indescritível e que vai marcar minha vida sem dúvidas. Esse jejum foi quebrado pelo trabalho de muitas pessoas (não só da Gestão de 2019, mas também de 2015, 2016, 2017 e 2018) e é incrível ver a felicidade e realização de cada uma delas com essa conquista.

Como foi o nível d’O Inter em 2019?
O nível esportivo estava um pouco abaixo do que foram os outros anos pela distância de cada cidade a São José dos Campos e por conta do primeiro dia ser um dia útil. No entanto Bauru, Prudente, Rio Claro e Rio Preto foram Atléticas que conseguiram levar uma delegação forte e que trouxe resultados (o pódio foi formado pelas quatro atléticas, nessa ordem).

Como você avalia o desempenho dos times esse ano? Que resultados você Como você avalia o desempenho dos times esse ano? Que resultados você destaca?

O desempenho foi ótimo! Se não fosse por eles, nada disso estaria acontecendo. Todos os resultados foram importantes e essenciais para a conquista do 12 e isso é fato, mas gostaria de exaltar a conquista das mulheres do Futebol de Campo Feminino que conseguiram o 1° lugar da primeira edição dessa modalidade nO Inter e fizeram um jogo incrível contra Prudente nas quartas de final

O Vôlei Feminino, que chegou às finais passando por Prudente em um jogo que, na minha opinião, foi o mais emocionante de todo O Inter junto com o do Futcampo Feminino; O Basquete Masculino, que desde 2014 não era campeão e que vinha de uma eliminação no primeiro jogo de 2018, deu a volta por cima e levou o título esse ano.

Quais as expectativas para O Inter do ano que vem?

É difícil falar com detalhes, mas com toda certeza será incrível novamente! O Inter é um evento que une todos os campus e traz muitas lembranças boas para todo mundo que o vive. Ano que vem não estarei mais na Atlética mas com toda certeza estarei lá apoiando nas quadras e espero comemorar no último dia o 13° título com toda a bauruzada!

Pelo que vi na internet, esse foi o 11º título, mas vi uma galera falando em 12º. São quantos, afinal?

São 12! Em 1998 aconteceu a primeira edição do Interunesp organizada exclusivamente pelos alunos, com muitas complicações e dificuldades financeiras para acontecer. Antes disso existia um torneio que a Unesp auxiliava na organização diretamente, até a década de 80 existia inclusive um torneio entre servidores (que está tentando ser retomado atualmente).

Quanto a Unesp decide interromper o apoio, os alunos começam a se mobilizar e assim surge o primeiro campeonato em 98, sediado em Rio Claro. Por conta da inexperiência e problemas financeiros não foi possível realizar nos dois anos seguintes e retornou apenas em 2001 de uma forma mais organizada.

Classificação final d’O Inter

Leia também: TUSCA Social promove arrecadação de alimentos e atividades com comunidade local