article inline adarticle inline ad

Com quase 40 anos de existência, o inter mais tradicional da Universidade de São Paulo nasceu, na verdade, em Campinas.

No início da década de 1980, as atléticas da USP e da Unicamp se reuniam para uma competição-viagem – que hoje é chamada pelos estudantes como jogos universitários ou inter. O torneio acontecia na cidade de Campinas, à 100 km de distância da cidade de São Paulo. Mas este era apenas o início da InterUSP.

Para entender um pouquinho mais sobre como surgiu e como era o início da IUSP, a Revista BEAT conversou com o ex-aluno Mauro Brant, formado em 1988 pela POLI. Além dele, Luciano Chaparin, atual estudante da mesma faculdade, nos ajudou a remontar essa história. Presta atenção na parada!

USP x UNICAMP: o princípio

Até 1983, o esquema era parecido com o já conhecido: os alunos se alojavam no próprio campus da UNICAMP e as faculdades competiam entre si nas dependências esportivas da mesma.

No ano seguinte, para diminuir gastos (ê Brasil!), o torneio teve que ser sediado em outro lugar. A escolhida foi Indaiatuba, próxima de Campinas e conhecida como ‘Cidade dos Indaiás’. Também sede dos jogos regionais daquele ano, Indaiatuba aproveitou o evento dos estudantes para testar a infraestrutura local.

Equipe de Futsal Masculino da Poli, na InterUSP de 1986. Desde o início, as mais variadas modalidades estão presentes na competição. (Acervo AAAP)

Alojamentos em escolas locais, utilização das praças esportivas do município e as disputas ocorriam durante os quatro dias do feriado de Corpus Christi. Nossa, que coincidência, né?

Pois bem, tudo parecia caminhar bem e, no ano seguinte, os jogos seriam sediados no mesmo local. Porém, adivinhe só? Três alunos da USP (POLI, MED Pinheiros e SanFran) se juntaram para renovar a parceria com a cidade.

Problemas com a cidade-sede: quem nunca?

Entretanto, ao chegarem na reunião com o então prefeito de Indaiatuba, José Carlos Tonin, a renovação foi negada.

O político alegou que os universitários haviam causado estragos nas escolas, foram embora devendo restaurantes, e que a bagunça foi além do imaginado. Ou seja, sem cidade-sede para competição (isso parece familiar?).

Na volta para São Paulo da visita à Indaiatuba, os três representantes pegaram a estrada e começaram a pensar em soluções. No meio do caminho, ao parar no Frango Assado da Rodovia Anhanguera, na cidade de Louveira, conversaram sobre a possibilidade de fazer outra competição – que viria a ser, agora sim, a InterUSP.

O atletismo sempre esteve presente; imagem do revezamento 4x100m na edição de 1994. (Acervo AAAP)

Vamos fazer uma competição-viagem só da USP?

De acordo com Mauro Brant, a ideia de criar uma nova competição-viagem (jogos) já circulava entre algumas atléticas. O foco era fornecer boas condições para o esporte e também proporcionar a integração dos universitários. Por acaso, caberia bem no feriado de Corpus Christi.

Entre as atléticas que agitavam a ideia, vale ressaltar a Engenharia de São Carlos (CAASO) e a USP de Piracicaba (ESALQ), que gentilmente ofereceram suas dependências para a realização do campeonato.

Foto tirada momentos antes do início da prova de natação feminina em 1999. (Acervo AAAP)

Assim, decidiu-se que a POLI seria a responsável por convidar as últimas atléticas. Pinheiros chamaria os colegas da USP-Ribeirão. Já a SanFran ainda avaliaria se participaria ou não desse novo campeonato.

É oficial: nasce a InterUSP.

Conversa vai, conversa vem, a primeira competição-viagem interna da USP finalmente aconteceu: 06 de junho de 1985, em Piracicaba. E, logo de cara, ficou conhecida como InterUSP.

Com quatro dias de duração (6 a 9), nas dependências e espaços esportivos da ESALQ, o torneio contou as seis atléticas fundadoras:

  • CAASO
  • Luis de Queiroz
  • Oswaldo Cruz
  • Politécnica
  • Rocha Lima
  • XI de Agosto

E teve muito esporte na primeira edição, viu?

  • Atletismo
  • Basquete
  • Beisebol
  • Futebol de salão
  • Futebol de campo
  • Handebol
  • Judô
  • Natação
  • Polo aquático
  • Tênis de mesa
  • Tênis
  • Rugby

E, como não poderia deixar de ser, houve muita integração. Cervejadas durante o período noturno animam os jogos e eram rotina nesses quatro dias.

Em 2019, 34 anos após a fundação, atléticas mudaram, modalidades entraram, mas o espírito continua o mesmo!