No segundo semestre de 2018, o Jogos da Liga teve sua segunda edição no novo formato – com séries ouro e prata – e, mais uma vez, deram o que falar.

Times tradicionais se classificando para a série prata. Equipes campeãs de 2017 sendo eliminados logo cedo. Jogos decididos nos últimos segundos. E o surgimento de uma nova atlética nos Jogos: a LAURP – Liga das atléticas do campus de Ribeirão Preto.

Sendo sua primeira vez, as equipes chegaram sem conhecer muito do campeonato ou dos times. Assim como os outros também não os conheciam. Era tudo uma grande surpresa. Porém, bastaram alguns jogos para mostrarem sua força competitiva.

Distância e vontade de jogar

Para participarem do campeonato, que ocorre em quadras da capital, os times tiveram que se desdobrar dentro e fora de quadra. Há algum tempo, os cortes da Reitoria e da Prefeitura do campus vêm dificultando o financiamento da LAURP – que se viu sem meios de financiar treinos, campeonatos e viagens no ano passado.

Porém, quando os atletas souberam do Jogos da Liga, o campeonato se tornou uma motivação para as equipes de Ribeirão Preto. Sabiam do desafio que seria participar de um campeonato em São Paulo, mas, mesmo assim, as modalidades de quadra abraçaram a ideia e apenas o basquete masculino não conseguiu participar.

Foram noites sem dormir, por vezes saindo de Ribeirão Preto 4:30 para jogar às 10:30. Alguns times chegaram a viajar por quatro finais de semanas seguidos a São Paulo. Muitos tiveram que fazer bate e volta por conta de outros compromissos em Ribeirão Preto. E por aí vai.

Mas, ao final, é consenso entre os atletas que, apesar da exaustão, a participação valeu a pena.

Auxílio universitário

Algo que possibilitou essa participação, e foi imprescindível, foi a liberação de transporte aos atletas por parte da Prefeitura do campus de Ribeirão Preto. Além do transporte, os atletas receberam a estadia no CEPEUSP, o que também foi um aspecto fundamental para a participação dos times. Sem esses fatores, muitos dos atletas poderiam ter sua participação comprometida.

A atenção e compreensão dos membros da LAAUSP também fizeram com que a participação no campeonato se tornasse mais acessível aos times da LAURP.

Foi essencial a compreensão não só da gestão, mas também de demais atléticas e jogadores. Todos entenderam que para os alunos de Ribeirão Preto havia uma dificuldade a mais ao se participar do campeonato. E ajudaram.

A participação da LAURP no Jogos da Liga deve servir de exemplo do que é uma Universidade – muito mais que a sala de aula.

Resultados

Sem conhecer muito dos times do campeonato e sabendo o sobre a “boa fama” dos times da capital, a LAURP chegou um pouco acanhada, sem saber ao certo o que esperar.

Porém, os primeiros jogos foram suficientes para aumentar a confiança dos atletas e demonstrar aos demais que não seria fácil enfrentá-los. Na primeira fase, todos os times da LAURP se classificaram para a série ouro, feito conquistado por poucas atléticas participantes do campeonato.

Os playoffs

Alguns times caíram já nas quartas de finais, como foi o caso do futsal masculino e feminino e o handebol masculino. Porém, no caso do FF e do HM, vale ressaltar que perderam para os que se tornariam, então, campeões do campeonato – EACH e EEFE, respectivamente.

Os demais times, basquete feminino, handebol feminino, voleibol feminino e voleibol masculino, chegaram todos às finais de suas modalidades.

Com isso, a LAURP igualou a marca da Poli, sendo as duas atléticas que mais se classificaram para finais – com 4 cada uma.

O VF, VM e HF encontraram fortes equipes nas finais e acabaram com a medalha de prata, motivo de muito orgulho para a Liga das Atléticas da USP de Ribeirão Preto e todos os alunos representados por esses times.

Os atletas de cada equipe sabem o quanto se doaram, dando seu máximo para conquistar essa medalha na capital.

O ouro do Basquete Feminino

Já o BF coroou a participação da LAURP nos Jogos da Liga levando a medalha de ouro para casa. Em um jogo acirrado, as meninas ganharam de apenas 1 ponto de suas adversárias da EACH. Um jogo digno de final!

Agora. mais familiarizados com o campeonato e tendo mostrado toda sua força, esperamos uma LAURP ainda mais competitiva em 2019.

Os atletas esperam participar do campeonato no ano que vem, chegando com ainda mais força na disputa do lugar mais alto do pódio.

Esporte universitário no interior

Handebol da LAURP: como o time virou a seleção da cidade
A força de Lorena na Copa USP, a única AAA do interior no campeonato