Confira como foi o LUE 2018, os resultados e o desempenho dos times destaques do campeonato de e-sports universitário

Em setembro rolaram os jogos da Liga Universitária de E-Sports. O campeonato considerado o segundo maior torneio do cenário universitário.

Diversas universidades e faculdades se reuniram na Mooca, nas dependências da faculdade São Judas, para competir e torcer pelos seus atletas.

Isso porque toda a estrutura estava disponível durante as fases de grupo das 5 modalidades habituais. Que eram:

  • League of Legends;
  • Hearthstone;
  • Counter Strike;
  • Fifa;
  • Clash Royale.

Resultados do torneio

LOL

A sempre presente UFABC Storm mostra a total dominância no cenário mais uma vez, em cima da UFSCar Fire.

Sempre campeões da modalidade, a impressão é que ainda há de aparecer algum time para poder contestar sua supremacia (e já dando spoilers, tenho esperanças em um time emergente).

Clash Royale

O veterano Femaso, da Microcamp Unicamp Tritons levou o primeiro lugar do Clash Royale, dando mais um troféu à instituição.

E também deixando a recém formada USP RevoltZ em segunda colocada. Este título, somado ao título da última edição do TUES, confirma seu favoritismo na modalidade.

FIFA

Biju, da Puccamp Cardinals leva para casa o troféu do FIFA 2018, deixando a UFSCar Fire em segundo lugar.

Com isso, é de se esperar que haja apenas mais um torneio no circuito usando o FIFA 2018, a segunda edição do TUES.

A partir do ano que vem podemos esperar torneios do FIFA 2019 e com isso talvez, uma nova leva de talentos na modalidade.

Hearthstone

Surpresa do campeonato, a USP RevoltZ (representante do campus butantã da USP) leva seu primeiro troféu.

Apesar do jogador da A2E UFF tirar 3 vezes consecutivas o lendário Keleseth na mão inicial, não conseguiu garantir uma vitória com seu Deathrattle Hunter e caiu para o jogador Kaminotto por 3 a 1.

Conter Strike: GO

Mais uma vez o time da USP RevoltZ se encontrou em uma final de modalidade e conseguiu rumar ao título.

Em um jogo emocionante, com direito a prorrogação no segundo mapa, a USP RevoltZ derrotou a Microcamp Unicamp Tritons por 2×0.

Times destaques

USP RevoltZ

Time recém formado do campus Butantã como projeto para competir de maneira unificada, a USP RevoltZ foi o destaque da competição.

Mesmo sendo sua estréia, chegou na final de 3 modalidades distintas, levando dois títulos para casa.

A organização vem para bater de frente com a Microcamp Unicamp Tritons, principal universidade do cenário, ainda mais quando se diz respeito aos jogos de cartas, pontos fortes da USP RevoltZ também.

Vale a pena ficar de olho nos próximos torneios para saber as atléticas da USP se inscreverão de maneira unificada, ou separadas por atlética, como feito habitualmente. Mas pelos resultados, fica uma sensação de sucesso no projeto.

Microcamp Unicamp Tritons

Grande organização (se não a maior) do cenário, a Tritons conseguiu se classificar para 2 finais, levando o título em uma delas.

Desta forma, confirma sua relevância no universitário como “Time a se bater”. Vale notar também que por causa do desafio Latino Americano que acontecia no GGXP, sua dupla titular do Hearthstone não estava competindo. O que poderia ter sido uma mudança relevante para os resultados da modalidade.

UFSCar Fire

Completando os top 3 do torneio, temos a UFSCar Fire. Mesmo sem levar nenhum caneco, a organização esteve em duas finais, uma delas a de LoL, contra a UFABC Storm.

Ganhar da Storm ainda é um feito, e por isso talvez sua derrota nesta modalidade deva ser tomada de maneira mais branda que derrotas em outras modalidades.

Como sua outra modalidade finalista foi o FIFA, e o FIFA sofre alterações constantes com a mudança de versão, vale a pena ficar de olho para como o cenário será, uma vez que o FIFA 2019 seja adotado.

Estrutura dos jogos

O torneio, focado muito mais em partidas presenciais que os demais, utilizou também a estrutura da faculdade como alojamento.

Assim, disponibilizou estadia para as faculdades de fora da cidade durante toda a competição.

Mas não é a primeira vez que uma ação deste tipo acontece. Apesar desta proporção ainda é exclusiva do LUE. Até o fim do torneio, fora totalizados centenas de alunos.

Por outro lado, infelizmente houve bastante atraso no cronograma programado devido a problemas técnicos.

Dessa forma, quase todo o cronograma do primeiro dia ficou defasado em 3 horas do esperado.

E, assim alguns jogos começaram muito tarde. Equipes tiveram que jogar novamente de manhã.

Mas, apesar disso, algumas correções no cronograma fez com que este atraso não virasse um problema maior.

Além disso, partidas foram transmitidas por stream, com picos de mais de 200 espectadores simultâneos. Principalmente nos jogos decisivos.

Mas cá entre nós, tenho que dizer que foi muito legal estar lá. Há uma carência de torneios presenciais no E-Sports como um todo.

E essa carência acaba sendo reproduzida no cenário universitário. Por isso, o LUE faz da experiência com E-Sports Universitários algo único e diferente.

Mais sobre e-sports

Jogo de futebol Fifa: entenda mais sobre o game
O que é o League of Legends (LOL): guia sobre o jogo