article top adPUBLICIDADE
article inline adarticle inline ad

Revista BEAT nas Eleições 2018: confira nosso especial, que começa com as propostas da candidata Marina Silva para o esporte brasileiro

Sabemos pela mídia que as propostas para o esporte da maioria dos candidatos à presidência em 2018 são vagas ou até mesmo inexistentes.

Por isso, separamos as propostas de alguns dos presidenciáveis para o esporte no Brasil. Então, para começar, confira as propostas de Marina Silva, candidata pela REDE.

Quem é Marina Silva

De origem humilde, viveu até os 15 anos numa palafita. Depois mudou-se para a área urbana de Rio Branco e trabalhou de empregada doméstica. Alfabetizou-se aos 16 anos. E então se formou em História e trabalhou como professora.

Elegeu-se vereadora (1988), deputada estadual (1990) e senadora (1994, 2002 e 2008). Em 2003, assumiu o Ministério do Meio Ambiente do governo Lula, cargo que ocupou até 2008. Foi candidata à presidência em 2010 e 2014, ficando em 3o lugar em ambas as eleições.

Idade: 60 anos
Vice: Eduardo Jorge – PV
Partido: REDE – Rede Sustentabilidade
Número: 18

Propostas de Marina 

Quando buscado no programa da candidata (programa-marina-silva-2018), o termo esporte aparece 13 vezes e é considerado um “aumento substancial” de investimento federal no setor.

É afirmado que, “apesar de sua importância fundamental para a saúde e a formação do espírito de cidadania, nunca recebeu o apoio adequado.”.

A candidata estabelece três frentes no apoio ao esporte:

  • incentivo à educação física escolar;
  • criação de espaços públicos adequados para a prática de atividade física (quadras, ciclofaixas, etc);
  • criação de mecanismos para aumentar o investimento privado no esporte de alto rendimento.

Proposta para universidades

Sobre universidades, o programa de Marina Silva ressalta, bastante, o incentivo às incubadoras e ao desenvolvimento de novas tecnologias dentro das universidades. Além disso, há um adendo sobre a manutenção do sistema de cotas.

Mas não há nada sobre esporte universitário, nem sobre o esporte com o papel de desenvolvimento do aluno universitário.

Dificuldades do esporte universitário

Falta de investimento afeta o esporte universitário no Brasil
Pan Americano: as diferenças do esporte universitário na América

PUBLICIDADE