article inline adarticle inline ad

Conheça um pouco do histórico do treinador de futsal Thiago André Rigon, Thiba, e sua trajetória no esporte universitário

Desde os 12 anos de idade, Thiago André Rigon — o Thiba — convive com o futsal diariamente em sua vida.

Quando adolescente, acumulou passagens pelas categorias de base do São Paulo Futebol Clube, Esporte Clube Banespa e Santa Bárbara D’Oeste. Chegando até a se federar e disputar competições até a categoria adulta.

Em meio a vida das quadras, foi no ensino médio que Thiago decidiu cursar Educação Física.

Assim, ingressou em 2003 na Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP. Então, a partir desse momento, futsal e universidade se uniram em torno de uma só paixão.

Como jogador na Seleção USP, 2012 – Créditos: Arquivo Pessoal

“O esporte universitário proporcionou a minha primeira experiência profissional. Percebo que hoje sou conhecido e reconhecido por muitas coisas que realizei dentro das Atléticas. Em poucas palavras, graças a ele, muitas outras portas se abriram. E também na vida pessoal. Foi onde fiz e tenho os meus melhores amigos”. 

É desta maneira que Thiba resume 15 anos de sua vida dedicados a modalidade universitária.

O treinador acumula passagens por 11 atléticas. Dentre elas, FEA, EEFE, Poli, ECA, San Fran, GV, Liga Mackenzie e a Seleção USP. Neste último, onde está atualmente, assim como na Medicina Paulista, à frente do futsal feminino.

Vitórias em campeonatos e inters

Campeão do Jurídicos com a Futmau (Futsal Feminino SanFran) – Créditos: Arquivo Pessoal

Praticamente, em todo time comandado, Thiba garantiu um título. Em quesito de “Inter”, foram dois JUCA’s, duas Unisinos, Jurídicos, Economíadas.

Além disso, teve InterUSP,  Integramix, a Intercalomed, “alguns” BIFE’s e o vice-campeonato do Engenharíadas. Sem contar outros campeonatos menores como Interto, copa Farma, Jufisio e Sampira.

Já em torneios “longos”, Thiago ganhou Copa USP, os Jogos da Liga, a Liga Paulista e a Série A da NDU.

Considerado um dos jogos mais marcantes de sua carreira, junto ao time de futsal feminino da GV, em uma final contra a EEFE, que contava com várias atletas do “professor” que já comandava a Seleção USP na época.

Campeão SERIE A NDU com a FGV – Créditos: Arquivo Pessoal

“Os dois títulos da Unisinos com o futsal feminino da seleção USP também foram bem importantes e emocionantes. Em especial, o primeiro — visto que nunca tínhamos ganhado aquela modalidade no Inter. Além disso, gostei muito de ganhar o Jurídicos também, fazia bastante tempo que a equipe não ia sequer para a final”. 

Para finalizar, outra conquista que Thiba guarda com muito carinho foi o bicampeonato do JUCA em 2010.

Responsável por treinar as equipes masculinas e femininas de Futsal da ECA, no último dia de inter, Thiago garantiu os dois títulos em finais consecutivas.

Foram pontos essenciais para ECA garantir o título geral daquele ano. Segundo o professor, a sensação de dever cumprido, ao final, foi indescritível!

Treinador de alto rendimento

MRW – Créditos: Reprodução/Facebook

Atualmente, Thiago treina a equipe do MRW/Praia Grande, que participa de torneios a nível de rendimento (Federação) no Estado de São Paulo. Uma peculiaridade do time é ser composto basicamente por ex-atletas universitários, entretanto, que jogam em alto nível.

Nas palavra de Thiba, um das principais diferenças entre o profissional e o universitário é que dificilmente o atleta de faculdade tem como prioridade a preparação esportiva ou uma competição, por exemplo.

Porque existem provas, cervejadas, vida social e a busca constante de um bom estágio dividindo espaço com a rotina de treinos.

“De qualquer forma, sabendo mexer bem com as variáveis, sempre é possível fazer um bom trabalho e competir com as equipes mais assíduas.”

 

Lendas do esporte

Gipe: trigêmea, universitária e um pé na Seleção Brasileira
Do futsal para o vôlei: conheça a fera das quadras