Entenda por que a faculdade vem tão forte para o campeonato e as expectativas para os próximos semestres de Lorena na Copa USP

Em seu terceiro ano de participação na Copa USP, a Escola de Engenharia de Lorena (EEL), da Universidade de São Paulo (USP), já demarcou território no campeonato.

Das 7 modalidades coletivas participantes, todas subiram ou então permaneceram na série azul do campeonato.

E, dentre elas, o futsal masculino foi campeão e o vôlei feminino, o basquete, o handebol e o futebol de campo masculinos foram vice. Eles não estão aqui para brincadeira.

Por isso, a Revista BEAT foi conversar com Tatiana Barbosa, presidente da Atlética de Lorena, para entender as motivações e descobrir as novas expectativas deles. Confira a entrevista:

EEL na Copa USP

Revista BEAT: Como e por que foi tomada a decisão de participar da Copa USP?

Tatiana Barbosa: A decisão foi tomada com muito planejamento. Afinal, além dos gastos convencionais do campeonato, também temos que arcar com a logística Lorena-São Paulo para todos os finais de semana de competição.

Mas a Copa USP é um campeonato que vem ganhando força na faculdade. Este é o nosso terceiro ano de participação.

E, após ano passado com quatro times coletivos (FF, FM, FCM e VM) participando e ótimas colocações, praticamente todos os outros times passaram a planejar e almejar a participação na Copa USP.

E o resultado não foi diferente. Este ano participamos com 7 equipes coletivas (FF, FM, FCM, VF, VM, BM, HM). Sem contar os rugbys, tênis de campo e atletismo (todos em ambos os naipes).

Revista BEAT: De que outros campeonatos semestrais vocês participam?

Tatiana Barbosa: Não participamos de outros campeonatos semestrais. A Copa USP é o único. Quem sabe venham o Jogos da Liga mais para frente?!.

Mas participamos de outros grandes campeonatos ao longo do ano, o qual o CaipirUSP é o de maior adesão por parte de nossos atletas e torcida.

Lá somos os atuais campeões. Levantamos o caneco nos anos de 2010, 2013, 2015 e 2017 e vamos com tudo esse ano em busca do pentacampeonato.

Revista BEAT: Já haviam participado da Copa USP antes?

Tatiana Barbosa: Sim. Desde 2016 participamos da Copa USP e é uma conquista muito grande conseguirmos participar desse campeonato tão almejado por nós há um bom tempo e de nível esportivo tão bom.

Revista BEAT: Como é a organização de vocês? Cada um por si? Há ônibus? A diretoria ajuda em algo?

Tatiana Barbosa: Tentamos ao máximo colocar diversos jogos no mesmo final de semana, de acordo com o que é melhor para cada modalidade. Porque isso ajuda a baratear nossos custos com transporte.

Nossa logística é praticamente toda com vans ou micro ônibus e utilizamos os alojamentos nas dependências do CEPEUSP para finais de semana de rodadas duplas.

Os diversos gastos com o campeonato são partilhados entre a Atlética, times e atletas, em diferentes proporções.

Atleta da EEL na Copa USP

Revista BEAT: Vale a pena o trabalho de participar da Copa USP? Qual foi o diferencial do campeonato?

Pedro Paulino: Vale muito a pena, porque é um campeonato em que jogamos com diferentes times, com diferentes estilos de jogo.

E isso nos fortalece muito para os nossos objetivos durante o ano. Além disso, viajar com seu time, seus amigos é muito bom, une muito o time!

Revista BEAT: Como estão as expectativas para a série azul?

Pedro Paulino: As expectativas para série azul estão altíssimas. Há 3 anos estamos tentando subir.

Nas duas primeiras vezes batemos na trave chegando na semifinal, e dessa vez, com um time mais maduro conseguimos o objetivo e ainda foi coroado com o título.

Na série azul temos certeza que podemos fazer um campeonato extremamente forte e chegar na final.

Revista BEAT: Há rivalidades com as faculdades da capital? se sim, quais?

Pedro Paulino: Temos sim. Com a EEFE jogamos a CUPA, eles têm um bom time mas acho que podemos jogar de igual para igual.

Já contra a MED nós perdemos na semi do ano passado e isso ainda está engasgado. Além disso, temos uma rivalidade muito grande contra a EACH, contra a qual perdemos a final do caipirusp ano passado.

Mas infelizmente não vamos poder “dar o troco” na copa usp porque eles não estarão na azul!

Inters 2018

Poli USP na TUSCA 2018: atlética é nova participante do inter
Integramix 2018: em SP, com Med ABC campeã