article top adPUBLICIDADE
article inline adarticle inline ad

A Vice Presidente da FAU MACK, Bárbara Petri, fala sobre o InterFAU 2018, as tradições e as expectativas desse ano e dá um recado especial a todos fauanos! 

A Revista BEAT foi conversar com a Atlética da FAU do Mackenzie para descobrir mais sobre o que é o InterFAU para eles e o que eles esperam neste ano. Confira:

FAU Mack no Interfau 2018

Revista BEAT: Quantos títulos vocês têm? Como é a competitividade do campeonato para vocês? Algo mudou nos últimos anos?

Bárbara Petri: Na verdade não sei quantos temos, hahahaha! O inter é pra gente a maior força de incentivar os atletas. Mas, com certeza, entramos todos os anos com um “frio na barriga” e vontade de vencer.

E, acho que na essência pouca coisa mudou. O que eu vejo crescendo é o nível esportivo em modalidades diversas para cada faculdade.

RB: Qual a importância do InterFAU no ano esportivo?

Bárbara Petri: É o nosso maior objetivo e é também uma paixão para os atletas jogar o inter. Não é à toa que começamos a treinar em fevereiro já pensando nisso.

RB: Qual a expectativa para edição 2018? Quais os principais rivais? Quais as equipes favoritas?

Bárbara Petri: A expectativa é sempre alta, porque nos dedicamos muito para isso. Acredito que cada modalidade tem uma faculdade que se destaca e é difícil bater.

Mas sem dúvida, a principal rival do Mackenzie é a FAU USP. Apesar disso, não gosto de falar sobre favoritismo, porque cada jogo é um jogo e os dois lados querem ganhar.

RB: Qual a principal tradição de vocês no InterFAU?

Bárbara Petri: Ai, são algumas.. Mas sempre levamos para o camping um trailer, porque a ideia é juntar todo mundo antes da festa!

RB: Se você pudesse dar um recado aos alunos para o InterFAU, qual seria?

Bárbara Petri: Não deixem de ir… porque é inesquecível e te faz sentir uma energia única!

Memórias do Mack

Bixos do Mackenzie: primeiro BEAT de Bruna Agapito
Engenharíadas de volta: Poli se une a Mack para reconstruir o inter

PUBLICIDADE