article inline adarticle inline ad

Conheça as histórias impressionantes de Ricardo Chaccur, que defendeu a camisa do Mack no JJE como atleta e como técnico do atletismo!

Por Ricardo Cotrim Chaccur

Meu primeiro Jogos Jurídicos foi em São José do Rio Preto, em 1997. Ao todo, foram 13  anos defendendo o manto vermelho e branco do Mackenzie como atleta da equipe de atletismo, e mais 07 anos só como técnico!

Durante esses treze anos, passei por muita coisa na minha vida pessoal, competi durante a graduação, a especialização e o mestrado, todos cursados no Mackenzie! Cada etapa da minha vida me impôs um obstáculo para treinar e conquistar as vitórias e os títulos que conquistei, afinal só em jurídicos foram 18 medalhas de ouro, 02 de prata e 03 de bronze, de um total de 96 medalhas conquistadas defendendo o Mackenzie! Além dos 12 títulos Estaduais como técnico das equipes masculina (08) e feminina (04)!

A maior lição que eu aprendi, durante todo este período, foi de que os obstáculos sempre existirão, o importante é a determinação e persistência que devemos ter para alcançar nossos objetivos e a coragem para enfrentar o medo do fracasso e superá-lo!

Assim, vivi muitas histórias para contar, mas dentre elas algumas merecem um destaque maior.

Histórias do Jogos Jurídicos 

Em 1998, eu estava no meu segundo ano de faculdade, e no ano anterior, na minha estreia em jogos jurídicos, eu tinha conquistado uma medalha de prata e duas medalhas de bronze nas provas de 100, 200 e revezamento 4 x 100 mts. Mas em 1998 eu não estava treinando como deveria e cheguei a considerar não competir naquele ano para não decepcionar os meus companheiros de equipe, que eram veteranos! Entretanto, um mês antes dos jogos, eu havia sonhado com o meu falecido avô me dizendo para competir a prova dos 800 mts rasos que eu conquistaria a medalha de ouro na competição! Apesar de ser um sonho, o meu diálogo com ele tinha sido tão real que eu comentei com o técnico da equipe na ocasião. E foi assim que eu comecei a treinar para a prova dos 800 mts e conquistar a minha primeira medalha de ouro nos Jogos Jurídicos com uma arquibancada lotada de mackenzistas, na pista de Americana, superando, na ocasião, o bicampeão da prova que era da UNICID.

De atleta a técnico

Em 2004, eu já tinha conquistado muitas outras vitórias na prova dos 800 mts (FUPE, TUNA, Liga Jurídica, Jurídicos Nacionais, LUPAA, JUESP) e assumido como técnico da equipe. Assim, nesta época eu já me dividia entre os meus treinos e os treinos dos demais atletas da equipe!

Recordo-me de que a decisão de assumir a responsabilidade de treinar a equipe, em 2001, foi muito difícil para mim, pois além de substituir o técnico anterior, que era um grande amigo meu e que tinha se mudado para o exterior, eu tinha plena consciência de que seria um grande desafio conciliar as duas tarefas, pois a minha dedicação como técnico comprometeria a minha preparação como atleta.

Nessa época, eu já tinha me acostumado a doar mais do meu tempo para os meus companheiros de equipe do que para os meus treinos particulares e isso de alguma forma afetava um pouco a minha preparação! Naquele ano, a equipe masculina já defendia o título conquistado desde 2002 e eu entrava na  pista como hexacampeão da prova dos 800 mts e recordista da prova nos Jurídicos Estaduais!

Os jogos estavam sendo travados na cidade de Guaratinguetá, mas a competição de atletismo foi realizada na pista de carvão da Aeronáutica, na cidade de Lorena. No dia da competição, a pista de carvão estava bastante pesada por conta da chuva do dia anterior e fazia um calor insuportável.

Eu não tinha dormido muito bem, a noite que antecedeu a competição, em razão do nervosismo e medo de não conseguir defender o título, afinal tinha muita coisa em jogo como técnico e atleta! Lembro-me que, instantes antes da prova, o nervosismo estava tomando conta de mim, boa parte em razão da alta expectativa de todos de que eu venceria mais uma vez a prova dos 800 mts!

Mackenzie x SanFran

Naquele ano específico, já havia se criado no atletismo uma rivalidade muito grande entre o Mackenzie e a SanFran e o nível de hostilidade era muito alta entre as equipes! Lembro-me de ser bastante hostilizado pela torcida da SanFran momentos antes da largada da prova dos 800 mts, enquanto eu aguardava a largada da prova.

Na época, esta hostilidade costumava me deixar ainda mais concentrado, além de me dar forças para enfrentar os meus medos e buscar a vitória, ao invés de me intimidar! E assim, com esta carga de adrenalina extra, no momento que o árbitro deu o tiro que iniciava a prova, eu larguei mais rápido que os meus adversários e assumi a liderança da prova desde a primeira curva da pista, mantendo o ritmo forte até os 700 mts, quando finalmente entrei na reta final!

Desacordado na pista

Atrás de mim vinha o meu principal adversário, que na época era um corredor de fundo da SanFran que costumava vencer as provas de 1500 e 3000 mts nos jogos, mas que nunca havia me superado na  prova dos 800 mts! A pista molhada amortecia as passadas dos corredores e eu não sabia que ele estava nas minhas costas! Bom, faltando menos de dez metros para terminar a prova e conquistar pela sétima vez a medalha de ouro na prova dos 800 mts, fui empurrado pelas costas pelo atleta da SanFran e cai na pista! Depois disso não me lembro de mais nada, pois fiquei uns cinco minutos desacordado por conta da queda e da batida violenta da minha cabeça na pista!

Minha primeira lembrança ao retomar a consciência foi de ver a ambulância do meu lado e muita gente em volta desesperada! Logo que abri os olhos me assustei e perguntei se eu tinha perdido a prova! Ninguém conseguia responder a minha pergunta, pois logo após o empurrão, houve muita confusão entre as duas equipes, além do fato de que todos estavam preocupados com o meu estado de saúde e queriam me levar para o hospital!

Vitória inacreditável

Naquele momento, me recordo que levantei na beira da pista, ainda cambaleando, e após recusar a carona da ambulância para o Hospital, me dirigi ao diretor da arbitragem da competição, com a ajuda de dois companheiros de equipe, para perguntar qual tinha sido o resultado da prova. Neste instante fui informado de que mesmo desacordado eu havia vencido a prova dos 800 mts porque tinha caído com a cabeça em cima da linha de chegada!!!

Acredito que essa tenha sido a vitória mais inacreditável de todas as minhas conquistas em Jogos Jurídicos Estaduais. A verdade é que essa vitória, da maneira como foi, ainda acabou nos dando o título do atletismo masculino, pois o atleta da SanFran, punido com a perda dos seus pontos na prova, nos fez conquistar o nosso tricampeonato com a diferença de apenas um ponto!

Ouro como presente de aniversário

Em 2006, a competição de atletismo dos jurídicos estaduais foi realizada, pela primeira vez, na cidade de São Paulo, uma semana antes dos Jogos, na famosa Pista do Ibirapuera! Lembro-me bem desta competição, afinal comemoraria pela primeira vez o meu aniversário dentro de uma pista, defendendo o manto mackenzista! Somado a este fato, seria a primeira vez que a minha família tinha a oportunidade de me assistir ao vivo, competindo pelo Mackenzie!

Meu pai era mackenzista e eu cresci ouvindo as histórias dele como presidente da atlética da Engenharia Mackenzie na MacMed! Então a paixão pelo Mackenzie já vinha no sangue e o medo de eu decepcioná-lo na primeira vez que ele tinha a oportunidade de me ver competir nos jogos jurídicos era imensa! Na ocasião eu já estava com 28 anos e um pouco cansado de sacrificar o meu tempo para treinar, mas na época, como técnico da equipe, as amizades que eu tinha construído com alguns atletas me impediram de abandonar a equipe e me fez continuar!

Me recordo que neste dia, excepcionalmente, eu não estava conseguindo me concentrar como costumava fazer nos momentos que antecediam a competição! Eu estava muito nervoso com a presença da minha família na arquibancada e com a responsabilidade de vencer e manter a minha invencibilidade na prova dos 800 mts, além de conquistar mais um título pelo Mack! Ao entrar na pista para competir a prova dos 800 mts, me lembro de não conseguir prestar atenção nas instruções do árbitro, pois estava olhando para a arquibancada e vendo a minha família lá pela primeira vez!

Naquela competição específica, nossa principal rivalidade era com a PUC-SP, que tinha uma equipe bem forte também! E no dia que eu completava 28 anos comemorei mais uma vitória na prova dos 800 mts e mais uma medalha de ouro com a equipe de Revezamento 4 x 100 mts, numa prova emocionante, travada até o fim com a equipe da PUC-SP e decidida nos últimos metros da prova!!! Com certeza foi um momento inesquecível ser campeão dos jurídicos no dia do meu aniversário!

Despedindo do JJE

Por fim, em 2009, eu entrava na pista pela última vez nos jogos jurídicos como atleta, e mais uma vez eu enfrentava algumas adversidades!

No ano anterior, eu tinha perdido o meu primo num acidente de moto! Ele era como um irmão para mim, crescemos juntos e a sua morte havia tirado de mim um pouco daquele ímpeto de competidor! A verdade é que a morte dele foi difícil de superar. Naquele momento, o que me deu forças para continuar treinando e competir aqueles jogos jurídicos foram a amizade e a força que os meus atletas e colegas de equipe me deram! Jamais esquecerei  cada um deles!

A prova foi disputada de noite com uma iluminação bastante precária na pista de Araraquara! Pra mim aquela prova foi muito marcante porque além de ser a última, enfrentei muitas dificuldades físicas para conseguir treinar e competir no mesmo nível que eu estava acostumado, afinal eu estava prestes a completar 31 anos de idade. Mesmo assim, numa pista que mal conseguíamos enxergar o chão por conta da escuridão, conquistei pela nona vez a prova dos 800 mts e mantive a minha invencibilidade na competição, conquistando como atleta e técnico o oitavo título nos Estaduais pela equipe de atletismo masculino!

Foi uma conquista marcante, superamos a SanFran, naquela competição, vencendo por uma diferença de mais de 60 pontos! No mesmo ano a equipe feminina conquistava pela terceira vez o título dos jurídicos estaduais!

Uma vez mackenzista…

Muitas são as histórias para alguém que possui muito jogos como eu, muitos foram os atletas e pessoas que estiveram do meu lado e que me apoiaram dentro e fora das pistas em cada um desses momentos e por esta razão não poderia deixar de prestar a minha homenagem a cada um dos meus atletas e colegas de equipe que me acompanharam durante este período da minha vida acadêmica, pessoal e esportiva e agradecê-los em razão disso!

Lutamos juntos, vencemos juntos, dividimos o sabor das vitórias e das derrotas e criamos um vínculo que com certeza levaremos para a eternidade! Vocês foram os irmãos que a vida me deu e que eu levarei para sempre em meu coração e nas minhas memórias!

Hoje, passados alguns anos dessas vitórias e conquistas, desses momentos de amizade, de desafios e superações, posso afirmar que aqueles foram anos incríveis que me fizeram aprender muita coisa e fazer muitas amizades duradouras, irmãos que a vida me deu e que são como uma família até hoje para mim! Foi uma honra enorme vestir por tantos anos a armadura mackenzista e defender dentro das pistas o nosso brasão! Até porque uma vez mackenzista, mackenzista até morrer!

Jogos Jurídicos

Os Jurídicos que me ensinou a perder – e a ganhar
Jogos Jurídicos: comissão especial intensifica projetos antiopressão