Reforma na rede elétrica do complexo esportivo ainda não possui previsão de término.

Por Leonardo Milano

 

[dropcap]N[/dropcap]o dia 20 de outubro de 2016, um raio atingiu um dos postes do Cepe-USP, provocando uma descarga elétrica que derreteu o painel da cabine primária de força localizada próxima à lanchonete. O Campo 1, o complexo de atletismo e as quadras externas, de 1 a 6, estão sem fornecimento de energia elétrica desde então. A expectativa geral dos atletas e das Atléticas era recomeçar o ano com os Módulos reformados e o problema na rede elétrica resolvido. Entretanto, este plano terá de ser adiado por alguns meses. Afinal, os módulos não estão prontos e as obras para trocar o painel de força nem começaram ainda.

revista beat - quadro força
Painel atingido pelo Raio no dia 20 de outubro de 2016. Foto por Leonardo Milano

Desinformação

Não é tarefa fácil conseguir informações sobre o ocorrido no Centro de Práticas Esportivas da USP, o famoso “Cepê”. O diretor técnico da instituição, professor José Carlos Farah, afirmou que o problema de fornecimento de energia estava localizado no velódromo, no complexo de atletismo e nos dois campos de futebol, além de “uma parte das quadras externas”. Errou.

Além disso, Farah afirmou não ser capaz de dar uma previsão para que o problema fosse resolvido e concluiu que as obras irão custar “em torno de 80 mil reais”. No entanto, a troca do painel, segundo Luís Ikeda, engenheiro da Superintendência do Espaço Físico da USP, a SEF, órgão responsável por elaborar o projeto, irá custar em torno de 30 mil reais, valor bem distante dos 80 mil reais previstos por Farah.

O real problema

O procedimento imediato após o derretimento do painel elétrico, segundo o supervisor da equipe de manutenção do Cepe, Wellington Souza, foi a consulta, junto a algumas empresas e a SEF, para uma reforma emergencial. Entretanto, devido ao alto custo de uma operação dessa natureza, decidiu-se aumentar o tempo de consulta e adiar o processo de licitação para o início deste ano.

Apesar de melhor informado, Souza também não se arriscou em dar uma previsão de quando as obras estarão concluídas.

Só pude entender a real dimensão do problema ao conversar com Roberto Leonezi, eletricista do Cepe, e responsável por acompanhar as obras necessárias para restabelecer o fornecimento de energia elétrica a partir da reforma da cabine: “campo 1, o complexo de atletismo e as quadras externas, de 1 a 6 estão sem energia”. Segundo afirmou, os Módulos, o velódromo, as quadras de tênis, as quadras 9 e 10, o “Areião”, o Campo 5 e as “lixas”, a princípio, não possuem nenhum dano. Será?

revista beat - cepeusp
Imagem aérea do CEPE-USP. Foto por Jorge Maruta/USP Imagens

Mas Leonezi não está imune à desinformação. O eletricista afirmou que o projeto da reforma já está pronto e licitado, fato desmentido pelo engenheiro da SEF, Luís Ikeda, para o qual o edital deverá ser lançado pelo próprio Cepe-USP.

Sem previsão

Com tantas informações intrincadas fica difícil confiar em alguma previsão.

Wellington Souza ainda ressalta a possibilidade de a descarga elétrica ter danificado o cabeamento do Cepê, as lâmpadas refletoras e alguns reatores. As lâmpadas e os reatores o próprio Cepê poderia substituir. Mas, em caso de necessidade de troca de cabeamento,  uma nova licitação, “bem mais cara e bem mais demorada” teria de ser feita.

Ikeda, afirmou que não sabe quanto tempo irá demorar para que a compra de um novo painel de força seja licitada.

Leonezi foi o único que se arriscou em fazer uma previsão: “chegando o projeto já protocolado nas minhas mãos eu acredito que serão necessários 30 dias para realizar a obra”. Mas o eletricista também fez questão de ressaltar que mesmo após trocar o painel, uma série de testes terão de ser feitos para verificar se os reatores, as lâmpadas e o cabeamento não foram afetados.

Difícil é saber em quem acreditar. Haja paciência!


Crédito foto de capa: Por Leonardo Milano