Por Nelson Niero Neto | Jornalismo Júnior

 

[dropcap]D[/dropcap]avid Mathieson nasceu em uma família de tenistas. Sua infância foi marcada pela convivência com raquetes, bolinhas e conversas sobre campeonatos e partidas. Com a influência do pai e do tio, que jogavam, David começou a praticar em uma quadra de dimensões menores, e com apenas 6 anos já jogava na grande. Aos 10, começou a treinar pensando em competir.

Quando entrou na FFLCH, em 2004, para cursar Ciências Sociais, passou a jogar no meio universitário. Treinava 4 vezes por semana, sempre conciliando o esporte com a graduação.

Conhecido como Jaiminho entre os atleticanos da faculdade pela semelhança com o tenista Jaime Oncins, ele já disputou diversos campeonatos universitários. Entre eles, destacam-se a Copa USP e os Jogos da Liga. “O grande estímulo destas duas competições é a possibilidade de enfrentarmos a Poli, a FEA, a San Fran e a EEFE, equipes organizadas e tradicionalmente fortes”, conta. Ele jogou também a Copa Universitária Paulista, uma competição poliesportiva que envolve 6 faculdades paulistas, e que, para ele, foi excelente no âmbito esportivo, com equipes apresentando um bom nível técnico no tênis. Ele também jogou o BIFE, uma competição “sempre fundamental para a união da equipe”.

perfildavid2

Além desses campeonatos, que envolvem diferentes faculdades, David participa do Torneio Interno do CEPE, que acontece anualmente no segundo semestre, e também está inscrito no Ranking, uma forma de competição ao longo do ano que promove uma classificação dos tenistas da USP. Ele é destinado a toda comunidade uspiana, ou seja, alunos, professores, funcionários e todos aqueles que tem acesso ao CEPE podem se inscrever e participar. “É um espaço que tento prestigiar e ajudar a construir”, conta ele, “pois, com o tempo, encontrei ali bons amigos e um ambiente organizado para a competição”. Ele destaca a competitividade do Ranking e do Torneio, um elemento central para que o esporte seja atraente.

David também competiu na Copa Itaú de Tênis Universitário, um campeonato que reúne excelentes tenistas do estado de São Paulo. Ele considera o terceiro lugar que conseguiu seu maior feito no esporte pois, durante a campanha, eliminou três cabeças de chave da competição, tenistas muito bem colocados no ranking da Federação Paulista de Tênis na época.

Outra de suas grandes conquistas foi permanecer 4 anos sem perder dentro da USP em jogos oficiais. Nesse período, entre 2009 e 2012, David acumulou uma invencibilidade de 30 jogos no Ranking do CEPE, ganhando partidas contra bons jogadores da época. Ele ainda foi campeão três vezes consecutivas do Torneio Interno do CEPE nesse intervalo (em 2009, 2010 e 2011).

tenisfflch
A equipe campeã do CUPA 2015: Luiz Amaral, Alan Rizério, David Mathieson, Juliana Koch, Maísa Girardi, Nicolau Spadoni

Hoje, aos 29 anos e cursando filosofia, David ainda joga pela faculdade, mas treina apenas duas vezes por semana, já que, além dos estudos, precisa conciliar os treinos com a aulas de filosofia, que leciona no ensino médio. “Gosto de defender a FFLCH”, conta ele, “e enquanto estiver ligado a ela, vou continuar jogando e participando dos campeonatos”. Enxergando a prática esportiva e a convivência com pessoas de diferentes cursos como pontos fundamentais de sua vida universitária, ele completa: “o tênis é parte de quem eu sou, e meus 11 anos de USP estão ligados ao esporte”.

 

 

 

Texto produzido por:
Logo Jota ad