Diversão x Concentração

Por Vitor Andrade | Jornalismo Júnior

 

“Pra mim o sexo não pode ser feito na noite anterior a de uma competição. Muito menos antes. Porque não deixa de ser uma atividade física e te deixa bem cansado”

“Ja ouvi falar que faz mal, então eu prefiro não arriscar minha performance”

 

[dropcap]P[/dropcap]arece absurdo, mas é isso que a Revista Beat ouviu de vários atletas universitários. Se você leva uma vida sexual e atlética ativas, com certeza você já passou por um dilema parecido com o título: “Eu deveria transar hoje se eu tenho jogo amanhã?”.

É uma dúvida que assola atletas pelo mundo todo. Poucos pesquisam a fundo os efeitos fisiológicos e psicológicos do sexo, e logo corre pelas quadras, pistas, campos e piscinas o boato de que o sexo pode atrapalhar o atleta. Este mito, que deriva da crença dos gregos em que a força se encontrava no esperma, chega a afetar os níveis profissionais: Muhammad Ali costumava se abster de sexo por seis semanas – sim, 42 dias – antes de uma luta; Antonio Miguel, ex-jogador do Pumas Unam, declarou nos anos 60 que seus treinadores davam nitrato de potássio (inibidor de ereção) aos jogadores; atletas asiáticos nos últimos Jogos Olímpicos de Inverno fizeram um voto de “celibato” e algumas seleções na Copa do Mundo também, já que de acordo com alguns técnicos, o sexo poderia tirar o foco dos atletas e os deixaria cansados.

A Beat pesquisou e descobriu que não é bem assim. Desculpa, Muhammad Ali.

sexo1
Nenhum time que baniu o sexo passou das oitavas na Copa de 2014. Já Alemanha, Holanda e Brasil liberaram. Coincidência? Crédito: Fifa World Cup 2014

 

Revista Beat: Desmascarando mentiras

 

Mentira 1: Sexo demanda muitas calorias

Uma sessão de sexo normal (sem deixar de ser satisfatória) gasta entre 50 e 100 kcal. Bem menos do que você pensava, certo? “De acordo com um estudo da Universidade de Quebec (Canadá), homens jovens queimam, em média, 4,2 calorias por minuto durante o sexo, enquanto mulheres eliminam 3,1 calorias por minuto. Basta multiplicar esses valores pelo número de minutos que durou a relação sexual para ter uma ideia da quantidade de calorias queimadas por relação”, afirma José Carlos Riechelmann, médico sexologista, terapeuta sexual e Presidente do Comitê Multiprofissional de Sexualidade Humana da Associação Paulista de Medicina. Ou seja, se você não for tremendamente acrobático na hora da transa – o que provavelmente não vai te dar mais prazer – o ato não vai te deixar cansado em longo prazo.

 

Mentira 2: Sexo atrapalha o sono

Pelo contrário. Desde que você não fique acordada/o na madrugada para transar, uma sessão de sexo vai te fazer dormir como um anjinho. É como assistir filmes: se você ficar até tarde vendo Netflix, vai perder boas horas de sono; se ver de tarde, não vai ter o menor problema. O manager do New York Yankees, o time de baseball mais célebre do planeta, declarou: “Não é o sexo que atrapalha meus atletas. O que atrapalha é ficar a noite toda procurando uma transa”. A sensação de tensão física é causada por hormônios secretados durante o ato, porém, depois do sexo o hormônio oxitocina é liberado em grande quantidade e se encarrega de te relaxar e te dar um bom descanso após o orgasmo. “Uma experiência sexual prazerosa, que termine por um bom orgasmo, por si só com certeza não vai atrapalhar uma boa noite de sono. Pelo contrário, poucas atividades físicas produzem um efeito tão relaxante e favorecedor do sono como o orgasmo. Outras maneiras de conseguir um bom relaxamento para facilitar o sono, sem ter orgasmo e sem usar medicamentos ou drogas, seriam massagem, exercícios respiratórios e banho quente”, declara Riechelmann. Só não esqueça de deixar o despertador pronto se a competição for de manhã.

 

Mentira 3: Sexo vai roubar a minha força

O sexo pode até te dar uma forcinha. Um ato sexual – como já dito, sem muitas piruetas – é uma prática boa tanto para homens quanto para mulheres. Ao contrário da antiga crença, momentos de prazer sexual dão para o homem um pico de testosterona que também eleva a secreção basal (nivel hormonal médio ao longo do dia) após o ato, logo dando aos rapazes uma vantagem em força muscular sobre os abstinentes, de acordo com o Laboratório Analítico Olímpico, na Califórnia. Já para as mulheres, foi descoberto por neurologistas da Universidade Rutgers que a estimulação vaginal leva a estimulação do córtex cingulado anterior e lobo da ínsula, áreas responsáveis pelo alívio da dor, revelando um efeito analgésico no orgasmo, principalmente na área das pernas. Para ambos os gêneros, o sexo bloqueia a transmissão do neuropeptídio P, um transmissor da sensação de dor.

 

Mentira 4: Sexo vai me atrapalhar psicologicamente e tirar o meu foco

O sexo, por si só, não atrapalha e pode até te deixar mais confiante. Muitos dos mitos sobre sexo, como você já deve ter percebido, são associados com ações que rodeiam a “saga” atrás de sexo casual com estranhos, como beber, festejar, dançar, ficar acordado até tarde… coisas que realmente podem te atrapalhar psicologicamente(e fisicamente também). Alguns afirmam que a falta de sexo pode levar a uma agressividade extra – algo que seria alegadamente bom para lutadores -, porém é importante não confundir agressividade e motivação, já que a frustração sexual pode facilmente levar a um estado depressivo. Estudos da Universidade do Texas compravaram um aumento na autoconfiança em pessoas que recentemente transaram, além de aliviar níveis de stress.“Um(a) parceiro(a) sexual amoroso, que também tenha atitude de animar e entusiasmar o(a) parceiro(a) atleta também pode ser uma influência muito positiva para o desempenho deste”, explica Riechelmann. Desde que você tenha um parceiro ou parceira fixo(a), o sexo não vai te tirar o foco se você não confiar nesta crença. Muitos dos mitos e rituais se sustentam por causa disso: ao acreditar que sua performance vai ser ruim por certo motivo, o atleta acaba realmente se dando mal por causa da falta de confiança, como fosse um efeito placebo. Ou seja: acredite que você vai competir melhor do que nunca, pois só isso já basta.

 

Hope Solo declarou ter visto pessoas transando no gramado. Era Jogos Olímpicos ou BIFE?
Hope Solo declarou ter visto pessoas transando no gramado. Isso foi nos Jogos Olímpicos ou no BIFE? Crédito: Boris Streubel/Getty Images Europe

 

Mentira 5: Alguns profissionais fazem isso, então é melhor confiar neles

Muitos atletas e técnicos profissionais não possuem vasto conhecimento sobre fisiologia e psicologia. Além disso, vários atletas negam a abstinência. Profissionais do esporte tomam a decisão de não transar antes de competições por pura superstição ou conservadorismo. Já foi provado cienticamente por meio de testes da Universidade de Colorado State que o sexo não afeta negativamente a força muscular, a capacidade aeróbica e VO2 máximo (limite de transporte e metabolismo do oxigênio no corpo). Além disso,um número considerável de equipes e atletas não negam um bom sexo antes das competições. David Wottle(800 m) e Kerrin Lee-Gartner(esqui) atribuíram seus ouros olímpicos a uma rotina que incluía sexo constante. O aclamado rei do futebol, o Pelé, confessou que encontros com sua esposa faziam parte da sua tradição pré-jogo. E a própria copa de 2014 foi a prova da eficácia do sexo pré-jogo: times que baniram o ato, como México, Bósnia, Rússia e Chile não tiveram sucesso. Já Brasil, Alemanha e Holanda, que declararam liberar os jogadores para se encontrarem com suas namoradas e parceiras em horários livres, acabaram figurando entre os melhores times da Copa. A vice-campeã Argentina não foi perguntada sobre o assunto, porém já se sabe que ela não proibiu a companhia das parceiras no centro de treinamento.

 

Veredicto: Aproveite com seu parceiro ou parceira e transe sem medo

Pois é, seja qual for o seu esporte, não tem o menor problema de fazer sexo no período pré-competição. Apenas se lembre de não tentar fazer o Cirque de Soleil em cima da cama, não deixar de dormir as oito horas convencionais, e o mais importante, seja confiante e mantenha o foco em fazer o seu melhor na hora de competir. Riechelmann dá o veredito final: “Para atletas que têm parceiros(as) sexuais que proporcionam relações emocionalmente leves, sem dramas ou chantagens emocionais, favorecendo um clima alegre,  divertido e eroticamente estimulante, e que normalmente terminam a relação atingindo o orgasmo, considero que o sexo antes da competição pode promover um forte relaxamento e uma ótima noite de sono, o que favorece o desempenho no dia seguinte. Para os casos de atletas que estão em conflito emocional com seus parceiros(as), uma tentativa de relação sexual na véspera da competição pode ser uma experiência estressante, e pode ter influência negativa no dia seguinte”. Enfim, desfrute de todos os prazeres do sexo! Ah, e faça sempre sexo seguro, claro.

 

 

Crédito Foto de Capa: David Cannon, Getty Images / Tiger Woods