Connect with us

JUCA

PUCCamp no JUCA 2018: a invasão caipira

puccamp-no-juca

A morsa de Campinas vem empolgada para edição deste ano. Falar de PUCCamp no JUCA é falar de amor, loucura e, cada vez mais, surpresas e investimento no esportivo.

Continuando nossa série de entrevistas sobre o esportivo das faculdades do JUCA, agora é a vez da Atlética de Comunicação da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, a PUCCamp.

A morsa chega a São Carlos feliz pelos resultados inesperados de Araraquara 2017. A Diretora Geral de Esportes, Júlia Vasconcellos, disse que isso só fez os atletas acreditarem que podem alcançar mergulhos mais profundos.

“Começamos a treinar em todas as modalidades em janeiro do ano passado, mas não pensamos que íamos colher os frutos tão rápido, pra quem não nos conhece sempre ficávamos em último lugar”, disse Júlia. A PUCCamp ficou em 6o lugar na última edição, chegando na final do tênis de mesa masculino e nas semifinais em cinco modalidades. 

Diferente do ano passado, caso alcancem bons resultado em São Carlos, isso não será mais surpresa. “Estamos mais maduros e conscientes, aprendemos a direcionar o que queríamos. Agora sabemos o que vamos encarar daqui pra frente. Estamos tentando estudar os adversários, sabemos que existem atléticas fortes em algumas modalidades. Mas a lição que ficou do ano passado é que ninguém é um monstro de sete cabeças”, declarou.

Chaveamento e favoritismos

puccamp-no-juca

O Tênis de Mesa Masculino levou a prata em Araraquara

Questionada sobre o chaveamento, Júlia disse que hoje o JUCA chegou a um nível no qual todas as atléticas tem oportunidade de ganhar. “Hoje já dá pra conseguir olhar para as modalidades de uma forma igual, não existe mais deduções e espero que ninguém faça mais isso, nossos atletas estão muito confiantes”, disse.

Sobre favoritismos, Júlia disse que neste ano o resultado não será tão previsível. “O investimento nos individuais, feito pela GRIFO em 2017, foi uma experiência feita por eles que deu certo, pegamos isso como exemplo também. Além de buscar cada vez mais atletas para modalidades que não tem muita procura, sempre dando valor ao esporte”, declarou.

Uma das preocupações da PUCCamp é não perder a sua essência e tornar o JUCA apenas uma competição entre faculdades. “O amor e o carinho pela nossa atlética são os nossos principais ideais, somos conhecidos pela loucura também. O tema desse ano, “Nação PUCCamp”, significa isso”, declarou.

Entrevista concedida em parceria com o Fala! Universidades

Revista BEAT no JUCA 2018

Apostas JUCA: quem ganha o que?
Belas Artes: a atlética em ascensão no JUCA

Advertisement

Facebook

More in JUCA