Connect with us

Campeonatos

Intrabixos: que campeonato é esse?

Acha que campeonato de bixos só existe nas cidades grandes? Está muito enganado. Conheça o Intrabixos, o inter de jogos dos calouros do interior.

Sabe o BichUSP, Intercalouros, Intercalomed, etc? Então, rola esse lance pras bandas do interior também. Em Ribeirão Preto, ele se chama Intrabixos. O campeonato existe desde 2011, tendo como campeã a FEA cinco vezes e  duas vezes a Educação Física.

Ele surgiu da necessidade de unir a LAURP (Liga das Atléticas da USP Ribeirão Preto), juntamente à visão de que um campeonato com os bixos ajudaria muito as atléticas a trazerem novas pessoas para o esporte. E, no começo, não tinha nem arbitragem! Eram os alunos que iam lá apitar e fazer acontecer.

“Foi um campeonato muito desacreditado no início. Inclusive, as atléticas resistiram muito em ceder seus horários de treino. E ninguém quis dar dinheiro nenhum”, conta Sherek (Vitor Carmona).

O ex-aluno, formado no curso de Direito e vice-presidente da LAURP na época, falou sobre a resistência ao tentar colocar em prática a ideia.

Intrabixos 2018

Nesse ano, sete times participaram. Odonto, Direito, FEA Ribeirão, Educação Física (é pouca gente, mas todo mundo gosta de esporte, né?!) e Filô (é tipo a FFLCH de Ribeirão, mas não é).

Algumas atléticas mais novas e com número menor de ingressantes até se juntaram para participar do Intrabixos.

É o caso da NEF (Nutrição, Enfermagem e Fonoaudiologia) e da FaFiTO (Farma, Fisioterapia e Terapia Ocupacional). Esse também foi o primeiro ano da TO, que tem uma atlética de apenas um ano de existência.

O campeonato acontece no estilo mata-mata desde o primeiro jogo, o que aumenta a sua imprevisibilidade. As modalidades foram: handebol, basquete, futsal, vôlei, tênis de mesa e atletismo – com categorias masculina e feminina – e xadrez – em que não há separação. Nunca se sabe o que (ou quem) vai aparecer.

Hegemonia da Educa

A FEA – que vinha como maior campeã do Intrabixos – não levou nenhuma medalha de ouro. Assim como a Odonto também não.

Apesar da notável melhoria de equipes que antes mal chegavam nas finais, ninguém teve vez com os bixos da Educação Física.

A “Educa”, como é chamada em Ribeirão, mostrou que esporte é a área deles e que na quadra e na pista eles vieram para ganhar.

“Eu entrei sem expectativa nenhuma, achando que ia ser uma coisa simples e que ia passar meio batido. […] Fui surpreendida. Tudo que aconteceu nesse Intrabixos foi incrível. Mesmo eu dormindo 3 horas por noite, morrendo de cansaço, valeu a pena” Conta Ninho (Leticia Detore Develey), caloura da Educação Física.

Isso porque, das 13 finais, a Educação Física chegou a 10, sendo campeã de todas elas, com placares largos, pouco aperto! E além disso, sagrou-se campeã geral, sem praticamente precisar fazer contas!

Fica, então, o desafio para as atléticas de no próximo ano juntar ainda mais forças, bixos e muito grito na garganta para desbancar a Educa! Serão novas pessoas, por isso, nunca se sabe o que vai acontecer.

Integração entre bixos e veteranos

Dizem por aí que, na capital, tem gente que faz seletiva para escolher os bixos – ou calouros – que participarão dos times no BichUSP. Em contraponto, aqui a gente corre atrás e quer que todo mundo participe!

Quanto mais, melhor. Nunca entrou em quadra? Ama esporte? Não sabe nenhuma regra? Tem uma mínima noção? Sempre buscou ficar longe da bola? Então você está dentro. Isso é tudo o que buscamos em alguém para participar – e claro, todos participarão de todos os esportes.

Acha que é pior por conta disso? Ao contrário! O Intrabixos é um dos campeonatos mais legais de se acompanhar. Claro, se você espera qualidade, não é o lugar adequado. Uma semifinal de basquete que acaba 2 a 0 não é em qualquer lugar que se encontra.

Mas se você quer ver integração, vontade, quer conhecer quem está entrando agora na faculdade, e aqueles que não largam o osso também, e principalmente incentivar o esporte na faculdade, é o campeonato ideal.

Foi o que rolou para Breja, conhecida pela família como Luíza Cabrera, aluna do segundo ano da FEA Ribeirão Preto. O Intrabixos foi o primeiro conta que ela teve com o esporte porque nunca teve incentivo antes.

“Ver o pessoal torcendo por mim, gritando, tudo azul, mesmo sabendo que eu não sabia nada, me motivou a treinar e não desistir de dar um resultado para aquele pessoal que torcia por mim. Fiz amigos no Intrabixos, chorei, e foi a minha melhor lembrança do meu ano de bixete”, conta.

A melhor parte da faculdade

Para os amantes do esporte – assim como nós – a melhor parte da faculdade é fazer parte de um time. Porém, nem sempre estar preparado é tão necessário assim. Às vezes, o importante é participar! O Intrabixos que o diga!

Quando o bixo entra em quadra pela sua faculdade pela primeira vez, já pode sentir a energia e vontade que nós conhecemos bem. E aqueles que muitas vezes nem pensavam em fazer parte de algum time, começam, então, a perceber que essa será uma das melhores partes da faculdade.

A descoberta do esporte universitário

Tâmisa Lazarin (ou Pílula, como é conhecida), é aluna do segundo ano da FEA Ribeirão. Ela não participava de times na escola. Só tinha participado de esportes individuais até então. E foi o Intrabixos que mostrou a ela um dos milagres do esporte: unir as pessoas por um mesmo objetivo. Por uma camisa, por um time, por uma faculdade.

“A emoção de vencer uma partida, a expectativa daquele último ponto ou a euforia de uma taça levantada, me fizeram amar todo aquele azul instantaneamente. Sentir que todos estavam juntos nessa, torcendo e vibrando, me fez sentir acolhida e parte de uma nova família. Que todos os bixos tenham a chance de poder sentir tudo isso!”, apontou ela.

 

Esporte universitário no Brasil

Os limites do esporte universitário
Falta de investimento afeta o esporte universitário
A democracia do esporte universitário

 

Advertisement

Facebook

More in Campeonatos